CECOSESOLA... an impressive experience!!

By Fernando Baptista

In the region of Lara, Venezuela, there is a conglomerate of co-ops called CECOSESOLA (http://www.cecosesola.org)... they act in the extreme of self-management and solidarity – principles that to them represent the foremost expression of “life” (they are inspired by H. Maturana’s ideas). This network of economic activities embraces more than 50 co-ops and around 1,000 workers (besides other 20,000 non-working members)... they operate in agriculture, industrial processing, retail, finance, health-care (they even built a hospital!), education, transportation, funeral services, among others... and their annual revenue is about US$ 100 millions. They live and work in areas of poverty and exclusion. In CECOSESOLA job titles and hierarchy are nonexistent, activities are rotated among people, salaries in general are above market average (apart from doctors), their products are usually cheaper, and decisions are made through dialog, self-reflection and natural consensus in multiple intertwined meetings that resemble symphony orchestras... expressions such as "keep un-drawing hierarchy" and "dancing together" are common there. This is an interactive, government-independent experience of collective learning and concrete action that has been taking place for more than 40 years, which makes them ask themselves whether they might be moving towards a “collective brain”.


CECOSESOLA... uma experiência impressionante!!

Por Fernando Baptista
Quero compartilhar uma vivência muito interessante que tive na Venezuela em Ago/2011. Visitei uma rede de cooperativas chamada CECOSESOLA (http://www.cecosesola.org), que atua no extremo da auto-gestão e da solidariedade – o que segundo eles é a expressão máxima da vida (eles se inspiram nas ideias de Humberto Maturana). É um conglomerado de atividades econômicas que agrega mais de 50 cooperativas e cerca de 1.000 trabalhadores (além de mais 20.000 associados)... atuam em agricultura, processamento industrial, vendas em varejo, crédito, saúde (eles construíram um hospital!), educação, transporte, serviço funerário, entre outros... e faturam cerca de U$ 100 milhões por ano. Eles vivem e exercem suas atividades em áreas pobres e de exclusão social.

Na CECOSESOLA, as pessoas não têm cargos, rotacionam as atividades e atuam em rede, têm salários no geral acima da média (com exceção dos médicos), vendem seus produtos com preços justos e competitivos, e decidem tudo através de diálogo e de consenso natural em múltiplas reuniões em cascata e interpostas, nas quais a auto-reflexão é um ponto chave (eles fazem votações só em casos raros e extremos)... e expressões como "ir desdibujando la jerarquía" e "ir bailando juntos" são comuns por lá. É uma experiência altamente vivencial e interativa, que não tem nada a ver com apoio governamental. Diria que é um processo coletivo de ação concreta e aprendizado mútuo impressionante.

Estou anexando algumas fotos e um livreto escrito por eles, o qual conta a história da CECOSESOLA e descreve em detalhes os princípios e práticas de sua auto-gestão (o título é bem interessante: “Em direção a um Cérebro Coletivo?”).







external image Foto3.JPG

external image Foto4.JPG

external image Foto5.JPG

external image Foto9.JPG


external image Foto10.JPG

external image Foto11.JPG

external image Foto12.JPG

external image Foto13.JPG

external image Foto15.JPG

external image Foto16.JPG

external image Foto17.JPG

external image Foto18.JPG

external image Foto19.JPG

external image Foto20.JPG

external image Foto23.JPG

external image Foto24.JPG

external image Foto25.JPG